23/09/2013
COMISSÃO CRITICA FALTA DE TRANSPARÊNCIA DO GOVERNO ALCKMIN


COMISSÃO CRITICA FALTA DE TRANSPARÊNCIA DO GOVERNO ALCKMIN - IMAGEM 1


Grupo diz que movimento criado pelo governador tucano há um mês em resposta à denúncia da Siemens sobre cartel no setor metroferroviário foi ato marqueteiro; “Em termos de resultado, o trabalho tem sido pouco efetivo", disse Paulo Itacarambi, vice-presidente do Instituto Ethos
23 DE SETEMBRO DE 2013 ÀS 09:57

247 – A comissão criada no mês passado pelo governador Geraldo Alckmin (PSDB) para ser uma resposta às suspeitas do propinoduto no Estado já é criticada por seus próprios integrantes.

Formado por 12 entidades da sociedade civil e coordenado pela Corregedoria-Geral da Administração (CGA) - órgão de controle e correição do Estado -, o Movimento Transparência foi criado no momento em que a Siemens denunciou a existência de um cartel em contratos de trens e metrô com gestões tucanas desde o governo Mario Covas (1998).

Para tentar distanciar seu governo do esquema, Alckmin anunciou que o Estado processaria a empresa alemã, para que os cofres públicos fossem ressarcidos. Os contratos no sistema metroferroviário foram superfaturados em até 30%.

No entanto, integrantes da comissão dizem que o 'movimento' foi criado pelo governador para dar publicidade. "Em termos de resultado, o trabalho tem sido pouco efetivo", afirmou Paulo Itacarambi, vice-presidente do Instituto Ethos, que integra a comissão. Segundo ele, a Corregedoria não tem divulgado os dados necessários.

"Aquele nome (Transparência) foi ideia de algum marqueteiro do Palácio (dos Bandeirantes)", acrescentou Claudio Weber Abramo, presidente da ONG Transparência Brasil.


Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter



Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis,
Bares e Restaurantes de Serra Negra

Rua Duque de Caxias 135
Sala 01 - CEP: 13930-000
Tel: 19 3892-6039
Email: contato@sechssn.com.br