01/09/2014
EMPRESAS NACIONAIS TÊM SEU MAIOR VALOR EM 12 ANOS


EMPRESAS NACIONAIS TÊM SEU MAIOR VALOR EM 12 ANOS - IMAGEM 1


Nunca as companhias brasileiras listadas na Bolsa de Valores de São Paulo valeram tanto como agora; apuração é da respeitada consultoria Economatica, que acompanha desde 2002 o desempenho das empresas nacionais; soma do valor de mercado de cada uma perfaz R$ 2,59 trilhões; paradoxalmente, mercado experimenta hoje alta de 1%, com disparada das estatais: Banco do Brasil (+2,5%), Petrobras (+4%) e Eletrobras (+6%); motivo alegado é o resultado da pesquisa eleitoral Datafolha, da sexta-feira 29, com alta de Marina Silva, do PSB, contra presidente Dilma Rousseff, do PT, e condutor da política econômica Guido Mantega, da Fazenda; empresários que choram estão mesmo defendendo seus próprios interesses? Ou reclamação é de 'barriga cheia' e pode gerar arrependimento?
1 DE SETEMBRO DE 2014 ÀS 12:58



247 – Reclamar do dia a dia da economia faz parte de qualquer democracia, especialmente quando há retração no PIB, como a verificada no segundo trimestre, de 0,6%, de acordo com o IBGE. Mas anotar resultados em série histórica dos grandes setores produtivos também precisa fazer parte das análises mais profundas. Neste sentido, a consultoria Economática elaborou um estudo sobre a evolução mensal do valor de mercado das companhias brasileiras abertas – e apurou que elas nunca valeram tanto como agora.

Perfazendo R$ 2,59 trilhões, o valor de mercado somado das empresas nacionais listadas na Bolsa de Valores de São Paulo nunca esteve tão alto desde dezembro de 2002. O cálculo considera um número de empresas variável no tempo por que foi elaborado com todas as companhias presentes em cada data analisada.

O resultado mostra que os empresários, que têm feito coro contra a política econômica, podem se arrepender de uma mudança brusca no rumo traçado no governo da presidente Dilma Rousseff e executado pelo ministro Guido Mantega.

Nesta segunda-feira, reafirmando a aposta contra o governo, o Ibovespa subia 1,06%, às 12h43, com disparada dos papeis da Petrobras (+4%) e Eletrobras (+6%). A alta seria uma reação dos investidores à subida nas pesquisas da candidata do PSB, Marina Silva, na pesquisa Datafolha divulgada na sexta-feira 1. O paradoxo está no fato de Marina já ter se comprometido em esfriar a exploração do pré-sal, pela Petrobras, o que, segundo os técnicos da companhia, tem tudo para prejudicar o crescimento da estatal. O que está importando para o mercado, ao que se vê, é mais a política, neste momento, do que a própria situação das empresas.

Abaixo, tabela e análise elaborados pela Economatica sobre o recorde em valor de mercado das companhias dos mais diferentes setores da economia e texto do site Infomoney, parceiro de 247, sobre a manhã na Bolsa:

Valor de mercado da bolsa brasileira atinge seu máximo histórico em agosto de 2014 – Setor bancos e de petróleo e gás puxam alta no mês de agosto.
Economatica calcula a evolução mensal do valor de mercado das empresas de capital aberto brasileiras desde dezembro de 2002 e verifica que no dia 29 de agosto de 2014 o valor de mercado das empresas brasileiras atingiu R$ 2,59 trilhões, maior valor da história do mercado.
O calculo considera numero de empresas variável no tempo por que foi elaborado com todas as empresas presentes em cada data analisada.




O setor bancário com 22 instituições é o setor que no dia 29 de agosto tem o maior valor de mercado com R$ 561,8 bilhões, no mês agosto de 2014 o setor teve o maior crescimento com R$ 70,4 bilhões.
O segundo setor com maior valor de mercado da Bovespa é o de Alimentos e Bebidas com R$ 382,0 bilhões
O setor de Petróleo e Gás e o terceiro setor com maior representatividade com R$ 310,9 bilhões e também o setor com o maior crescimento nominal no mês de agosto com R$ 55,6 bilhões.
No mês de agosto de 2014 o valor de mercado das empresas brasileiras cresceu R$ 196,5 bilhões, maior crescimento nominal em amostras mensais da história.







Ibovespa sobe mais de 1% após Datafolha; Petrobras dispara 4%

Por Lara Rizério

SÃO PAULO - Em dia de feriado nos EUA por conta do Dia do Trabalho, o Ibovespa registra forças na sessão desta segunda-feira (1), digerindo os números do Datafolha e o reajuste de estimativas do mercado devido ao efeito-Marina. Às 10h27 (horário de Brasília), o índice registrava ganhos de 1,23%, a 62.047 pontos, patamar máximo desde 24 de janeiro de 2013, com destaque para a nova alta das ações da Petrobras, que sobem cerca de 4%.

No radar da companhia, além do Datafolha, está a entrada dos papéis PETR3 no portfólio do BTG Pactual com o novo cenário eleitoral: os analistas veem as ações chegarem a R$ 30,00 se Marina Silva (PSB) for eleita.

As estatais, que vêm sendo as protagonistas desse "rali eleitoral", acentuam os ganhos a cada minuto de negociação e roubam a cena nesta sessão, sendo elas: Petrobras (PETR3, R$ 23,04, +4,07%; PETR4, R$ 24,38, +4,41%) e Eletrobras (ELET3, R$ 8,64, +6,01%; ELET6, R$ 12,82, +3,81%) e Banco da Brasil (BBAS3, R$ 35,84, +2,43%).

Toda essa euforia deve-se a pesquisa eleitoral Datafolha, que mostrou Marina Silva (PSB) 13 pontos percentuais acima da última pesquisa do instituto, realizada em 18 de agosto, e agora com 34% das intenções de voto, empatada com o mesmo percentual de Dilma Rousseff (PT). Enquanto isso, o candidato do PSDB, Aécio Neves, apresentou forte queda, indo dos 20% do dia 18 para atuais 15%.

Por outro lado, os papéis da Vale, que chegaram a subir cerca de 1% em meio a possíveis novos estímulos na China e com uma decisão favorável do STJ (Superior Tribunal de Justiça) sobre o imposto de renda de controladas, zeraram os ganhos. A primeira turma do STJ negou, por unanimidade, recurso impetrado pela União e manteve decisão que libera a mineradora de pagar impostos sobre lucro auferido por controladas no exterior para evitar a bitributação, disse a empresa à Reuters na sexta-feira.

O recurso foi impetrado pela Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional após decisão favorável do STJ à Vale, em abril. Na ocasião, a Justiça decidiu que o fisco brasileiro não pode tributar o lucro de controladas da Vale em Luxemburgo, Bélgica e Dinamarca. Segundo a Vale, a última decisão do STJ foi realizada na quarta-feira e o acórdão ainda não foi publicado.

Em destaque no noticiário econômico, está o Focus. Economistas de instituições financeiras revisaram as suas estimativas para diversos aspectos da economia brasileira, de acordo com a pesquisa Focus do Banco Central nesta segunda-feira. A expansão do PIB (Produto Interno Bruto) em 2014 diminuiu para 0,52%, ante 0,70% da semana anterior - esta é a 14ª semana consecutiva que os economistas diminuem as estimativas para o crescimento da atividade econômica brasileira. Para 2015, os economistas também diminuíram a projeção do PIB para 1,10%, ante 1,20%.

Enquanto isso, o PMI Brasil revelado pelo HSBC mostrou um avanço na atividade industrial do Brasil, de 49,1 em julho para 50,2 em agosto.

Compartilhar Facebook Compartilhar Twitter



Sindicato dos Trabalhadores em Hotéis,
Bares e Restaurantes de Serra Negra

Rua Duque de Caxias 135
Sala 01 - CEP: 13930-000
Tel: 19 3892-6039
Email: contato@sechssn.com.br